Cão de loiça!

22.2.16
Bom dia!!!
Lembram-se desta relíquia?! Deve haver por aí alguém que ainda tem uma avó ou uma tia que tenha o animal lá em casa. É uma daquelas peças que se calhar ainda vai virar kitsch (ou já virou!?) e que era frequente nas entradas de casas dos anos 70 e 80. Normalmente eram dálmatas com um ar embalsamado e assustador. Com a graça de Deus o animal foi-se extinguindo e agora é mais raro dar com eles. Mas fiz uma pequena pesquisa e encontrei um primos dos dálmatas!! Pode ser controverso mas aqui estão alguns exemplos de como incluir cães - e outras bichezas - na decoração de interiores! Já agora, digam-me o que pensam!







 




 Animais de loiça? Sim ou não?


Instagram @whiteglam

3 comentários:

  1. No principio de casada, tive um cão de loiça e por que não? Era um cocker e foi por causa dele que um para de anos mais tarde tive mesmo um cocker a sério. Se vira kitsh ou não, não sei, mas qual é o problema de um cão de loiça quando há bichos de todas as raças em loiça, espalhados por decorações vistas em revistas e blogues, seja em móveis, paredes, chão, sejam eles veados, patos, gansos ou cavalos? Ou é alguma coisa contra os cães? Já não se usa o cão? Se calhar não, mas eu usei há alguns anos e gostei, mas também já não usaria agora. No entanto, tenho um gato e dois esquilos em prateleiras. Qual será a diferença?

    ResponderEliminar
  2. Depende da qualidade da peça e do ambiente onde está colocada. Veja-se o cão branco da foto (porcelana?). Gosto do candeeiro com o abat-jour preto às riscas e da ave azul combinando com o quadro.
    Mozi

    ResponderEliminar
  3. Bicheza de loiça no chão...não. Agora como base de candeeiros gosto muito. Adoro o candeeiro da Girafa, acho um mimo a cabecita da girafa a espreitar no topo do abajur. Beijinho Lisete.

    ResponderEliminar

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...